Google+ Followers

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Phillip and Patricia Frost Museum of Science. - Museu de Ciência Phillip e Patricia Frost,

8 Cool Facts About Our Resident Stingrays

FROST SCIENCE-8 copy



Any word prefaced by “sting” can sound a bit, well, intimidating. But stingrays are typically kind and gentle when interacting with people. A great way to learn about these graceful creatures is to visit our Florida Bay Touch Experience in the Aquarium, where you’ll find them gliding through an easy-to-reach pool that allows visitors to get hands-on with various species of this cool cartilaginous fish.

Ready to dive deeper into the mysterious ocean dweller roaming our touch pool waters? Here are eight facts about Frost Science’s friendly rays.

We have 15 stingrays on display in our Bay Touch exhibit, comprised of three different species. You’ll find seven cownose stingrays, four yellow rays and four Atlantic rays.

Our cownose rays were born in another aquarium facility while our yellow stingrays were collected locally by our husbandry staff. The Atlantic rays? They’re actually west coast Floridians.

We feed our stingrays twice a day. In nature, their meals would’ve largely been made up of invertebrates and bivalves. We stick to their diet as close as possible by feeding them a savory mix of clam, shrimp, squid and several types of fish. Dinner party with the rays, anyone?

People take vitamins to give their diet a healthy boost. Our stingrays do, too.

Like all the organisms under our care, we visually check their health and behavior daily to make sure they’re in good shape. If anything’s amiss, our staff veterinarian will step in and provide direct veterinary care. This could include medicines such as antibiotics or even surgical treatments.

Stingrays like their water warm—our exhibit has complex life support systems that help keep the water clean and at an ideal temp of roughly 77 degrees Fahrenheit.

Our husbandry staff cleans the exhibit daily, removing waste from the sand and cleaning the acrylic windows. Twice a week, a staff member will swim through the exhibit while cleaning walls and other components—a clean pool makes for a better experience for both you and our rays!

True to their name, stingrays have barbed stingers at the base of their tail that they use for defense. Here at the museum, we employ a commonly-used process called “de-barbing” to trim the sharp tip of the barb. This makes our rays safe for you to interact with and touch. However, the shortened barb will grow back over time—that makes it necessary to repeat the process every couple of months.

Our stingray touch encounter was created to encourage curiosity and exploration around these majestic creatures. Our hope is that it will inspire an interest in conserving the species, and the ocean as a whole.

By Frost Science





Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.







--br via tradutor do google
Museu de Ciência Phillip e Patricia Frost

8 Fatos legais sobre nossos Stingrays residentes


FROST SCIENCE-8 copy
Qualquer palavra preconizada por "picada" pode soar um pouco, bem, intimidante. Mas os arrays são tipicamente gentis e gentis quando interagem com pessoas. Uma ótima maneira de aprender sobre essas criaturas graciosas é visitar nossa Florida Bay Touch Experience no Aquarium, onde você vai encontrá-los deslizando através de uma piscina fácil de alcançar que permite que os visitantes se entrem com várias espécies deste bem Peixes cartilaginosos.

Pronto para mergulhar mais profundamente no misterioso morador do oceano que roaming nossas águas da piscina de toque? Aqui estão oito fatos sobre os raios amigáveis ​​da Frost Science.

Temos 15 arraias em exibição na nossa exposição Bay Touch, composta por três espécies diferentes. Você encontrará sete arrays cownose, quatro raios amarelos e quatro raios do Atlântico.

Nossos célebres raios nasceram em outra instalação de aquário, enquanto nossas arvores amarelas foram coletadas localmente pelo nosso pessoal de criação. Os raios atlânticos? Na verdade, são floridianos da costa oeste.

Nós alimentamos nossos stingrays duas vezes por dia. Na natureza, suas refeições seriam amplamente constituídas por invertebrados e bivalves. Nós ficamos com a dieta o mais perto possível, alimentando-os com uma mistura saborosa de moluscos, camarão, lulas e vários tipos de peixes. Jantar com os raios, qualquer um?

As pessoas tomam vitaminas para dar à sua dieta um impulso saudável. Nossos stingrays também fazem.

Como todos os organismos sob nosso cuidado, verificamos visualmente sua saúde e comportamento diariamente para garantir que eles estejam em boa forma. Se alguma coisa acontecer, o nosso veterinário irá intervir e fornecer cuidados veterinários diretos. Isso poderia incluir medicamentos como antibióticos ou mesmo tratamentos cirúrgicos.

Stingrays como a sua água aquecida - nossa exposição possui sistemas complexos de suporte de vida que ajudam a manter a água limpa e a uma temperatura ideal de aproximadamente 77 graus Fahrenheit.

Nosso pessoal de criação limpa a exposição diariamente, retirando o lixo da areia e limpando as janelas acrílicas. Duas vezes por semana, um membro da equipe vai nadar através da exposição enquanto limpa paredes e outros componentes - uma piscina limpa faz uma melhor experiência tanto para você quanto para nossos raios!

Fiel ao seu nome, as arraias têm ferrões na base da cauda que usam para a defesa. Aqui no museu, empregamos um processo de uso comum chamado "desbarbar" para cortar a ponta afiada da lâmina. Isso torna nossos raios seguros para você interagir e tocar. No entanto, a barbatana encurtada irá crescer ao longo do tempo - o que torna necessário repetir o processo a cada dois meses.

Nosso encontro com toque de arraia foi criado para incentivar a curiosidade e a exploração em torno dessas criaturas majestosas. Nossa esperança é que ele inspire um interesse em conservar as espécies e o oceano como um todo.


Por Frost Science


Mexican cultural richness on display in the Vatican Museums. - Riqueza cultural mexicana em exposição nos Museus vaticanos. - Riqueza cultural mexicana en exposición en los Museos vaticanos.

Vatican City (RV) - Natural caves, cascades and mangrove forests, a wild and exuberant nature, and a wealth of traditions and culture.



It is what the Mexican state of Sinaloa offers, mixed with genuine colors and flavors, a cultural richness perpetuated from generation to generation.

Local authorities, in collaboration with the Mexican Embassy to the Holy See and the Governorate, wanted to offer this patrimony to the thousands of visitors who daily walk the corridors of the Vatican Museums.

It is the project "Hand of the world in the Vatican", aimed at promoting precisely the rich local traditions of this Mexican state.

Among others, there are objects of handicrafts produced by local artists, accompanied by gastronomic manifestations and folk music.

Very significant, in particular, the show formed by 40 images that illustrate the history and the natural attractions of Sinaloa.

The exhibition, scheduled to end initially in August, was extended until September 21, the 25th anniversary of the reestablishment of diplomatic relations between Mexico and the Holy See.

Inaugurated by Cardinal Giuseppe Bertello, President of the Governorate and Nuncio in Mexico from 2000 to 2007 - the itinerant exhibition has already gone through the Louvre Museum in Paris and the Metropolitan Museum in New York.

It is not the first time that Mexico organizes exhibitions and initiatives in collaboration with the various agencies of the State of the Vatican City.

Celebrated is the "Christmas in the Vatican" event, which every year sees the Vatican Museums and the Paul VI Hall being embellished by Christmas trees and artistic cribs from the Central American country.

Every year a different Mexican state - starting with Jalisco, with a strong Catholic presence - offers the best of local traditions in the form of art, crafts, culture and folklore.

The Christmas Initiative was held for the first time in 2007 to celebrate the 15th anniversary of diplomatic relations between Mexico and the Holy See.






Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.












--pt
Riqueza cultural mexicana em exposição nos Museus vaticanos.

Cidade do Vaticano (RV) – Grutas naturais, cascatas e florestas de manguezais, uma natureza selvagem e exuberante, além de uma riqueza de tradições e de cultura.

É o que oferece o Estado mexicano de Sinaloa, misturado a cores e sabores genuínos, uma riqueza cultural perpetuada de geração em geração.

As autoridades locais, em colaboração com a Embaixada do México junto à Santa Sé e ao Governatorato, quiseram oferecer este patrimônio aos milhares de visitantes que diariamente percorrem os corredores dos Museus Vaticanos.

Trata-se do projeto “Mão do mundo no Vaticano”, voltado a promover justamente as ricas tradições locais deste Estado mexicano.

Estão expostos, entre outros, objetos de artesanato produzidos por artistas locais, acompanhados por manifestações gastronômicas e música folclórica.

Muito significativa, em particular, a mostra formada por 40 imagens que ilustram a história e as atrações naturais de Sinaloa.

A exposição, prevista para terminar inicialmente em agosto, foi prorrogada até 21 de setembro, dia em que se celebra os 25 anos de restabelecimento das relações diplomáticas entre México e Santa Sé.

Inaugurada pelo Cardeal Giuseppe Bertello, Presidente do Governatorato e Núncio no México de 2000 a 2007 – a mostra itinerante já passou pelo Museu do Louvre em Paris e pelo Metropolitan Museum, de nova Iorque.

Não é a primeira vez que o México organiza mostras e iniciativas em colaboração com os vários organismos do Estado da Cidade do Vaticano.

Célebre é a manifestação “Natal no Vaticano”, que a cada ano vê os Museus Vaticanos e a Sala Paulo VI serem embelezados por árvores de natal e presépios artísticos provenientes do país centro-americano.

A cada ano um Estado mexicano diferente – a começar por Jalisco, com forte presença católica – oferece o melhor das tradições locais na forma de arte, trabalhos artesanais, cultura e folclore.

A iniciativa no Natal foi realizada pela primeira vez em 2007 para celebrar o 15º aniversário das relações diplomáticas entre México e Santa Sé.





--es via tradutor do google

Riqueza cultural mexicana en exposición en los Museos vaticanos.

Ciudad del Vaticano (RV) - Cuevas naturales, cascadas y bosques de manglares, una naturaleza salvaje y exuberante, además de una riqueza de tradiciones y de cultura.

Es lo que ofrece el Estado mexicano de Sinaloa, mezclado en colores y sabores genuinos, una riqueza cultural perpetuada de generación en generación.

Las autoridades locales, en colaboración con la Embajada de México ante la Santa Sede y el Gobernador, quisieron ofrecer este patrimonio a los miles de visitantes que diariamente recorren los corredores de los Museos Vaticanos.
Se trata del proyecto "Mano del mundo en el Vaticano", orientado a promover justamente las ricas tradiciones locales de este Estado mexicano.

Están expuestos, entre otros, objetos de artesanía producidos por artistas locales, acompañados por manifestaciones gastronómicas y música folclórica.
Muy significativa, en particular, la muestra formada por 40 imágenes que ilustran la historia y las atracciones naturales de Sinaloa.

La exposición, prevista para terminar inicialmente en agosto, fue prorrogada hasta el 21 de septiembre, día en que se celebra los 25 años de restablecimiento de las relaciones diplomáticas entre México y Santa Sede.

Inaugurada por el Cardenal Giuseppe Bertello, Presidente del Gobernador y Nuncio en México de 2000 a 2007, la muestra itinerante ya pasó por el Museo del Louvre en París y el Metropolitan Museum de Nueva York.

No es la primera vez que México organiza muestras e iniciativas en colaboración con los diversos organismos del Estado de la Ciudad del Vaticano.

Célebre es la manifestación "Navidad en el Vaticano", que cada año ve los Museos Vaticanos y la Sala Pablo VI ser embellecidos por árboles de Navidad y pesebres artísticos provenientes del país centroamericano.

Cada año un Estado mexicano diferente-a comenzar por Jalisco, con fuerte presencia católica- ofrece lo mejor de las tradiciones locales en la forma de arte, trabajos artesanales, cultura y folclore.

La iniciativa en Navidad se celebró por primera vez en 2007 para celebrar el 15 aniversario de las relaciones diplomáticas entre México y la Santa Sede.